Atualidades

Terceirizar ou ter frota própria? O que é melhor para suas entregas?

Muitas empresas possuem dúvidas para decidir se terceirizam ou não sua logística. Se você está lendo esta matéria é porque também precisa de uma assistência. Mas calma, iremos te ajudar! As principais perguntas e incertezas estão direcionadas a custos, eficiência das entregas, gestão da operação, qualidade no atendimento ao consumidor final, entre outros. Diante disto, […]

Grupo ATML

17 de agosto de 2020

Avalie este post

Muitas empresas possuem dúvidas para decidir se terceirizam ou não sua logística. Se você está lendo esta matéria é porque também precisa de uma assistência. Mas calma, iremos te ajudar! As principais perguntas e incertezas estão direcionadas a custos, eficiência das entregas, gestão da operação, qualidade no atendimento ao consumidor final, entre outros. Diante disto, resolvemos criar este post para auxiliar os gestores a tomarem suas decisões.

O primeiro passo é você conhecer a fundo os processos logísticos que envolvem sua empresa. Perguntas como: Em qual horário meus produtos estão prontos para serem expedidos? Qual a quantidade de entregas que tenho por dia? Esta quantidade de entrega oscila frequentemente? Qual o mapa de calor das minhas entregas? Tenho sazonalidade? Certamente cada empresa responderá de forma distinta essas respostas, pois cada organização possui um cenário e, com isto, características diferentes que influenciam diretamente a escolha do modelo de operação. Capacidade de investimento, material humano, cultura organizacional e core business são alguns dos fatores que devem ser analisados para uma escolha mais assertiva e segura. Abaixo, explicamos um pouco mais sobre frota própria e frota terceirizada, para que você possa compreender os atributos e individualidades de cada uma e, assim, tenha as informações necessárias para a tomada de decisão.

FROTA PRÓPRIA

Este modelo tem por característica o veículo pertencer à empresa. Desta forma, todos os custos incorporados a esta frota serão de sua responsabilidade, como: Manutenção, combustível, controle e gestão da documentação dos veículos para que estejam dentro da regulamentação, IPVA, seguro do bem e, um ponto invisível que as empresas costumam esquecer, a desvalorização da frota, ou seja, a perca de valor de mercado ao passar do tempo. Além dos atributos acima ligados ao veículo, a empresa também tem as obrigações ligadas ao motorista, que é admitido através do regime CLT, lhe cabendo o controle de jornada e custos trabalhistas.

Como todo o processo e rotina são geridos e de posse da empresa, ela possui condições de ter, no momento que precisar, a equipe à disposição (veículo + motorista), não havendo necessidade de agendamento prévio e verificação de disponibilidade. Entregas em caráter de urgência poderão ser realizadas sem grande dificuldade, além, até mesmo, de socorro a algum outro veículo da frota com pane ou desafio na entrega.

Visando uma melhor inteligência na operação com frota própria, é recomendado a utilização de software para controle e auxílio aos profissionais que estarão gerenciando a frota. Benefícios como: controle de abastecimento, quilometragem, horário de trabalho e até tempo do veículo parado com motor ligado, estão na contratação de um sistema de gestão de frota.

Em resumo:

Vantagens:

– Controle maior sobre os processos que envolvem a logística;

– Pela equipe de entrega ser própria, terá um maior envolvimento com a empresa e conhecimento do produto a ser entregue, causando maior engajamento, melhorando a experiência do cliente;

– É possível caracterizar o veículo e o motorista com a identidade visual (ex: logo) da empresa;

– Disponibilidade do veículo e motorista a qualquer momento.

Desvantagens:

– Custo de aquisição e depreciação do bem;

– Custo fixo de motorista;

– Riscos trabalhistas.

– Possiblidade de haver engessamento da operação por conta do tipo do veículo da frota, podendo o mesmo estar com capacidade ociosa ou, até mesmo, com falta de espaço;

– Em período de poucas entregas, o motorista poderá ficar com parte de sua jornada de trabalho desocupada, ou seja, ociosa;

– Local para guarda dos veículos.

FROTA TERCEIRIZADA

Este modelo tem por característica o veículo não pertencer a própria empresa, ou seja, como o nome já diz, a frota será terceirizada por uma empresa de prestação de serviço. Com isto, todos os custos incorporados aos veículos serão de responsabilidade da empresa contratada. Esqueça preocupações com manutenção, controle de combustível, depreciação do bem, seguro, IPVA,  etc, assim como custos trabalhistas do motorista, que também serão de responsabilidade da terceirizada.

Por ser um modelo flexível, a empresa poderá aumentar ou diminuir à frota de acordo com a sua demanda e sazonalidade. Além disto, através da transferência de responsabilidade da operação, terá o foco voltado totalmente ao seu core business, não sendo necessário desprender atenção gerencial para assuntos pertinentes a frota. Para tanto, é necessário avaliar se o parceiro possui know-how em logística que vá lhe proporcionar tranquilidade e segurança.

Em resumo:

Vantagens:

– Foco no core business;

– Flexibilidade de aumentar ou diminuir a frota a qualquer momento;

– Adaptação do tipo do veículo de acordo com o produto a ser transportado;

– Modelo pay-per-use – Utilização da frota somente sob demanda, não havendo ociosidade;

– Controle simplificado dos processos;

Desvantagens:

– Impessoalidade nas entregas;

– Tempo de reação quando ocorrer um problema;

E AGORA?

Agora cabe a você, conhecendo um pouco mais sobre a diferença entre frota própria e frota terceirizada, decidir qual é mais adequada para sua empresa.

Tem interesse ou dúvida em como implantar o modelo de frota terceirizada na sua empresa?

Clique aqui e obtenha ajuda dos nossos especialistas.

Compartilhe

Comente

Leia também